Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Delírio do Moscardo

"devagar, o tempo transforma tudo em tempo. o ódio transforma-se em tempo, o amor transforma-se em tempo, a dor transforma-se em tempo." José Luís Peixoto

Delírio do Moscardo

"devagar, o tempo transforma tudo em tempo. o ódio transforma-se em tempo, o amor transforma-se em tempo, a dor transforma-se em tempo." José Luís Peixoto

02.Set.12

Serviço Público de Televisão

   Finda a manobra de diversão protagonizada pelo "consultor para as privatizações", é importante esclarecer algumas questões:

  • O serviço público de televisão deve ser assegurado por uma empresa pública. Atribuir a gestão desse serviço a uma empresa privada é, com grande probabilidade, torná-lo uma simples máquina de propaganda corporativa, que terá em vista apenas o factor receita; 
  • A proposta de concessão pode ser considerada inconstitucional; 
  • A questão da sustentabilidade económica não é credível, uma vez que o Plano de Sustentabilidade Económica-Financeira apresentado pela administração demissionária da RTP previa que, a partir de 2013, o Estado deixasse de subsidiar a empresa através da indemnização compensatória;
  • O pagamento de uma taxa do audiovisual para uma entidade privada é, no mínimo, obscena; 
  • A existência decana da RTP, se criticável nalgumas opções estruturais e de programação, teve um papel fundamental para a afirmação da democracia e divulgação cultural em Portugal e nas comunidades emigrantes; 
  • O Governo não pode, como é hábito, desculpar-se com o acordo estabelecido com a troika, uma vez que esta questão nem sequer foi abordada. Na verdade, sugere que este tema será importante apenas para o ministro adjunto e dos assuntos parlamentares.

 

   Resta aguardar a decisão do Governo, que num pequeno teste traiçoeiro, quis medir o quão fracturante é o tema, para agora tomar uma decisão sobre algo que desconhecia e continua a desconhecer.