Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delírio do Moscardo

"devagar, o tempo transforma tudo em tempo. o ódio transforma-se em tempo, o amor transforma-se em tempo, a dor transforma-se em tempo." José Luís Peixoto

Delírio do Moscardo

"devagar, o tempo transforma tudo em tempo. o ódio transforma-se em tempo, o amor transforma-se em tempo, a dor transforma-se em tempo." José Luís Peixoto

05.Dez.12

Três Cores: Vermelho

Moscardo
   No derradeiro filme da trilogia, o desencontro parece ser a rotina. Kieslowski aborda diversos temas sem perder de vista o crucial, da natureza humana. Tem uma abordagem incisiva e consciente do voyeurismo, da vigilância, da privacidade, mas também do que nos une enquanto espécie: a fraternidade. Talvez o motivo tratado de forma menos ambígua na trilogia.   Valentin é estudante e modelo em Genebra. É aberta, generosa, atenciosa, capaz de criar laços com as pessoas mais (...)
25.Nov.12

Três Cores: Branco

Moscardo
   Branco é uma leve comédia romântica apenas na aparência. Há um nível de interpretação adicional, um humor negro subjacente, uma ironia intangível em todo o filme. Uma mala sobre o tapete rolante dum aeroporto é a cena inicial. Karol Karol (Charlie Charlie?) é um cabeleireiro polaco que procura evitar a separação da esposa, que se pretende divorciar devido à não consumação do casamento. A primeira das humilhações que este herói chapliniano sofre. A sua personalidade (...)
04.Nov.12

Três Cores: Azul

Moscardo
      Azul é o primeiro filme da reconhecida trilogia das cores, de Krzysztof Kieslowski.  O tema é a liberdade. Não liberdade social ou política, mas emocional. Aquela que deve permitir esquecer a perda de uma família. Após um acidente de automóvel que tira a vida ao marido e única filha, Julie tenta recuperar um sentido para a sua existência. Entramos no seu quotidiano, frágil, destruído e sombrio, em que parece já não existir razão para viver.   Kieslowski presta (...)