Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delírio do Moscardo

"devagar, o tempo transforma tudo em tempo. o ódio transforma-se em tempo, o amor transforma-se em tempo, a dor transforma-se em tempo." José Luís Peixoto

Delírio do Moscardo

"devagar, o tempo transforma tudo em tempo. o ódio transforma-se em tempo, o amor transforma-se em tempo, a dor transforma-se em tempo." José Luís Peixoto

16.Dez.14

Mitologia da Imigração

Moscardo
     Muito bom, o artigo do Le Monde, já de Agosto deste ano, a desmontar mitos sobre imigração em França. Que são: 1- Há uma explosão no número de imigrantes em França Os dados demonstram que, em 30 anos, o aumento de imigrantes na população total se ficou pelos 1,2%. 2 - Há um aumento maciço de imigrantes na Europa Segundo a Frontex, a entidade que regula o controlo das fronteiras europeias, os números têm-se mantido relativamente estáveis nos últimos anos. 3 - A (...)
16.Mar.14

Manifesto Pela Reestruturação da Dívida

Moscardo
     Porque o debate é essencial em democracia, porque dificilmente haverá um consenso tão alargado entre personalidades tão distintas ideologicamente, e porque, for fim, concordo com o conteúdo do manifesto, deixo o link.  
03.Mar.14

Da Filosofia Política

Moscardo
  Não dizemos que um homem que não revela interesse pela política é um homem que não interfere na vida dos outros; dizemos que não interfere na vida.   (Oração fúnebre de Péricles, in Tucídides, História da Guerra do Peloponeso)
25.Ago.13

Como o Estado Gasta o Nosso Dinheiro

Moscardo
     O livro Como o Estado Gasta o Nosso Dinheiro, de Carlos Moreno, ex-juiz do Tribunal de Contas, é uma excelente leitura para perceber a natureza do despesismo público que nos trouxe à situação que vivemos hoje. Embora lançado em 2010, mantém-se perfeitamente actual.        Alguns pontos a reter:   O défice e a dívida pública não incluem as finanças do sector público empresarial (apenas incluem as Administrações central, regionais, locais e a Segurança Social)  
10.Ago.13

Crise de valores

Moscardo
  Leio em entrevista dada por Rui Rio à Visão:   Se Menezes for candidato e ganhar, que lições tira? [RR]: A acontecer, isso poderia dar um livro sobre a crise do regime e a consistência das opções dos eleitorados.   A julgar pela última sondagem, que dá clara vitória a Menezes, o livro tem pernas para andar.
07.Jul.13

A silly season já não é o que era

Moscardo
       Se o Verão já não é o que era, porque está demasiado calor quando devia estar demasiado frio, a silly season também não. Confesso já não saber o que é mais insuportável, se a conduta irresponsável de Passos Coelho e Portas, se o dantesco ruído proveniente das centenas de comentadores a gritarem frivolidades sobre o comportamento dos primeiros. Deve haver eleições? Deve. Foram exactamente criadas para este propósito. Mas também devia haver uma alternativa séria. (...)
01.Abr.13

Aparição

Moscardo
     Embora lamente este tipo de circo perpetrado por alguma comunicação social, a verdade é que José Sócrates vende, seja para ser exultado ou insultado. Este empolgamento não é só responsabilidade dos media: a ausência de uma oposição forte terá facilitado, em muito, a amplificação deste regresso. Mas que não haja dúvidas. O ex-primeiro-ministro é o grande responsável pela chegada do empréstimo externo, e apenas uma alma muito inocente pode acreditar que seria (...)
24.Jan.13

Refu(n)didos

Moscardo
     Já sabemos o que pretende o governo com o relatório do FMI. Expor medidas que pretende implementar, seja por não ter coragem de as apresentar directamente, por aparentar ponderação ao enveredar por apenas algumas ou para alinhar no velho espírito bacoco de que o que vem de fora é bom.     Na realidade, tudo o que é apresentado no relatório é falacioso, o que devia ser surpreendente, vindo de uma instituição tão preponderante a nível global. Começa pela premissa (...)
06.Jan.13

Ano Novo, Vida Velha

Moscardo
       Num ano que se vaticina de empobrecimento social, luta política e recessão económica, há certos prognósticos que são certos. Seja em números de desemprego, défice ou dívida pública, apenas se espera o falhanço completo de previsões do governo. Será interessante perceber onde tentarão cortar (de novo) na despesa, depois de tal acontecer. A margem para aumento fiscal esgotou-se há algum tempo, e a reacção social pode tornar-se violenta, caso insistam na mesma (...)
07.Dez.12

Anatomia de um assalto

Moscardo
  Redução de 8 para 5 escalões de IRS: - Menos de 7 mil euros: 14,5%- Entre 7 mil e os 20 mil euros: 28.5%- Entre os 20 mil e os 40 mil euros: 37%- Entre os 40 mil e os 80 mil euros: 45%- Acima dos 80 mil euros: 48% Redução nas deduções e benefícios fiscais Pensões sofrem corte de 3,5%, a partir de 1.350 euros, com uma taxa progressiva Sobretaxa de 3,5% para todos os rendimentos abaixo de 250.000€/ano Corte do subsídio de férias dos funcionários públicos (...)